Gastronomia

PRATOS TÍPICOS
 
São iguarias da região, Sarrabulho e Papas Laberças. Desde o início da colonização da Região do Baixo Mondego, numa zona eminentemente agrícola e de fácil pastoreio, o povo autóctone aproveitava integralmente o porco que abatia para sua alimentação, 
tal como acontecia com todos os produtos hortofrutícolas. Os abates constituíam típicos rituais comunitários, sendo habituais as participações de diversas famílias nas festas da matança, próximo do mês de Dezembro. A proximidade do rio Mondego e do mar foi um facto preponderante para a livre e diversificada cozinha local, em termos de consumo de peixe. Nesta área, a sardinha constituía prato obrigatório e frequente em casa de todas as classes sociais. 
 
VINHOS DA REGIÃO
Desde o início da Nacionalidade, por manifesta influência dos frades de Santa Cruz de Coimbra (crúzios) que as matas densas que cobriam a Região foram dando lugar ao plantio cuidado das vinhas. Na Idade Média, o vinho era um dos produtos agrícolas mais valorizado e procurado, sendo mesmo utilizado como moeda de troca pelos produtores. No último quartel do século XX, o tradicional cultivo da vinha, praticamente desapareceu com a transferência das populações do sector primário para os sectores secundário e terciário. Hoje, o vinho continua a fazer-se, embora em quantidade reduzida e praticamente só para consumo próprio. São néctares da Região, os Vinhos maduros e produtos destilados derivados do vinho, como aguardente e jeropiga.
 
DOCES REGIONAIS
Fazem parte da confeitaria da região, Papas  de moado, Papas de Farinha. de milho com Açúcar e Arroz Doce sem ovos. Estes doces baseiam-se em hábitos primitivos peninsulares, em que a base de alimentação seria a carne, por um lado, e na influência do cultivo do arroz, desde a Idade média, nos Campos de Verride e Alrniara, por outro. Estes doces típicos convencionam-se da seguinte maneira. Papas de Doado: Aberto o porco e extraídas as vísceras, é a cavidade lavada com água. O líquido que resulta dessa lavagem, urna mistura de água, sangue e gordura é recolhido num recipiente. Depois de emulsionado com farinha de trigo, misturam-se passas de uva, nozes e pinhões. De seguida, vai ao lume, mexendo-se Bern. Após a cozedura do preparado, este apresenta um especto consistente de cor castanha. Polvilha-se com pó de canela em desenhos a gosto, devendo ser servido bastante frio. Papas de Farinha de Milho com Açúcar Trata-se de urna papa normal feita de farinha, água e açúcar Arroz Doce sem Ovos: mistura-se arroz, água, leite, casca de limão e açúcar, quando pronto polvilha-se com pó de canela a gosto. Trata-se de um doce consistente mas cremoso cortado à faca e por vezes consumido em cima do pão.